sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Amamentação e solidariedade

Já estou 100% para amamentar! Não parei em nenhum momento, mas como contei no blog anterior, durante um tempinho entre o final do ano passado e o início desse foi bastante doloroso. O bom de tudo isso é que a partir do post "Amamentação e dor" no Ficando Grávida, a Bianca (uma das organizadoras do CineMaterna) escreveu lá seu comentário e se dispôs a ajudar. Descobri, então, que além de trabalhar para o Cine Materna acontecer, ela também é consultora voluntária de amamentação. Isso quer dizer que ela vai na casa de pessoas que têm dificuldades para amamentar para ajudar mãe e filho(a). Não é o máximo? Eu fico emocionada só de escrever. E tudo começou porque ela teve dificuldades inicialmente para amamentar a sua filha. É tão legal quando a gente consegue transformar as nossas dificuldades e experiências em algo positivo, ajudando outras pessoas. Admiro muito mesmo gente assim! Mas, enfim, acabou que nós (Tito e eu) fomos à casa da Bianca sexta passada e foi ótimo. Aprendi muitas coisas, entre elas que há muitas maneiras de ordenhar o próprio leite (coisa que devemos fazer quando o peito está muito cheio ou empedrado, mas também para armazenar o nosso leite para dar quando não estamos por perto, por ex.). Pude experimentar além da ordenha manual (que já tinha tentado sozinha) com a ajuda dela, dois modelos de bombas manuais (que me machucaram e são bem lentas) e a bomba elétrica. Amei essa última: em pouco mais de 10 minutos, consegui encher uns 150 ml (nunca imaginei que fosse ficar tão feliz com uma coisa dessas)!!! Aprendi também que posso continuar dando só o meu leite para o Tito mesmo depois de colocá-lo na creche (claro que a partir dos 6 meses ele vai começar a comer e beber outras coisas, mas não vou precisar dar leite sintético ou de vaca por um bom tempo!) e fiquei muito empolgada mesmo com isso. Tanto, que já compramos uma bomba elétrica (que além de rápida para extração não me machucou nem um pouquinho).

Mas a coisa de continuar dando só o meu leite pra ele está sendo muito importante pra mim. Além do lado nutricional e imunológico (afinal, ele será em breve um bebê de creche), tem também o lado afetivo. Começamos a procurar uma creche na semana passada e não imaginei que seria tão difícil. Deixar ele com outras pessoas quase o dia todo em um espaço em que ele será mais uma criança vai ser muito difícil pra mim. Levar o meu leite será uma maneira da gente continuar junto, de eu fazer alguma coisa por ele para estender o nosso contato. Enfim, pode parecer maluquice, mas acho que esse primeiro distanciamento entre mãe e filho(a) não é fácil para a grande maioria e manter o meu leite mesmo sem eu estar lá é, de alguma forma, um jeito de não perder totalmente esse vinculo. Em breve, escreverei sobre as creches... Quando eu tiver coragem e mais conformada com a idéia de ele ficar em uma delas. Espero encontrar uma muito bacana em breve.

p.s.Tito fez 5 meses ontem e está ótimo! Essa semana fomos à pediatra e agora ele tem pouco mais de 8kg e 69cm de altura.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010


No sling, estreiando o chapéu: o mais fofo até com esse sol todo no olho!

Primeiras caretas

Na praia pela primeira vez: quanto vento, quanta claridade!!!

Na grama, namorando o coqueiro e o pai.

Primeira viagem

Ah, esqueci de uma primeira super importante no post anterior. Semana retrasada passamos 4 dias em Búzios, na casa da tia Lenice, com ela minha mãe e tia Almy. Fomos de carro e voltamos de ônibus (primeira viagem deonibus tb!) e foi ótimo! Ele ficou um pouco mais irritado do que o normal, mas acho que faz parte. Foi à praia, também pela primeira vez. Enfim, foi muito legal e acima estão algumas fotos! Certamente, essa será a primeira de muitas viagens nossas!

Primeiras

Ter um(a) filho(a) é algo maravilhoso! Vejam bem que não sou uma pessoa que sempre quis ter filho, desde criancinha. Ao contrário, tive muita vontade em alguns momentos da minha vida e também muitas dúvidas. Mas agora que o Tito está aí, estou muito feliz mesmo e acredito que a gente pode crescer como ser humano (se estiver disposto(a), é claro) tendo um filho(a). Parece papo de auto-ajuda e sei bem que pra muita gente criar uma outra pessoa não é tarefa das mais fáceis (não estou falando que o é para nós, tá?), não só por exigir muita disponibilidade em todos os sentidos, mas também porque uma certa estabilidade financeira, psicológica e emocial são bem-vindas. Enfim, a chegada de um(a) filho(a) na família pode trazer muitas mudanças e para quem não está disposto a mudar pode se frustrar bastante.

Estávamos nesse domingo mesmo jantando com amigos(as) que tb tiveram filho há pouco tempo e conversando sobre o assunto. A verdade é que para mim e pro Gustavo só tivemos que fazer ajustes na rotina (ao menos por ora, daqui a pouco volto ao trabalho, ele entra para a creche e a coisa complica um pouco mais). Nós não estávamos mais na fase de sair direto com amigos(as) e já faz tempo que gostamos de programas diurnos mais do que dos noturnos, incluindo alguns bem infantis. Enfim, as mudanças já estavam em curso, Tito chegou em ótima hora. Hora também de viver várias coisas de novo de uma perspectiva totalmente diferente. Todo mundo já foi criança, bebê (já dizia a música do Arnaldo Antunes) e já passamos por tudo isso só que a gente não lembra dessa fase (o que acho muito injusto!), então é ainda mais lindo ver os primeiros sorrisos, as primeiras gargalhadas, as primeiras vezes que ele pára o que está fazendo (isso inclui até mamar) para prestar atenção nas pessoas falando ou na televisão. Enfim, citando outra música (dessa vez do Moska), é tudo novo de novo e é tão lindo! Mas, é claro, nem tudo são flores as primeiras vezes também englobam a parte difícil da vida e de ser mãe/ pai. Segunda retrasada, por exemplo, ele teve a primeira febre (nada demais, reação à vacina) e foi desesperador! Esse menino não vai poder ficar doente não, já avisei pra ele! Nada é pior do que a sensação de impotência quando a pessoa que você mais ama no mundo e que não pode se defender direito sozinha não está bem. Foi horrível. E foi também a primeira vez que precisei da pediatra dele e que não consegui encontrar. Graças a Deus, existe o meu querido tio Mauro no mundo e assim as emergências infantis serão poupadas de mais uma mãe histérica! Semana passada também foi a primeira vez que peguei metrô com o Tito, só nós dois, às 17h de quinta-feira. Dá uma pena tão grande vê que o transporte público tem tudo pra dá certo e está desse jeito! Nós andamos de ônibus aqui em Niterói, de barca, mas confesso que nesse fresquinho que está fazendo no RJ (37, 38, 39 graus), estou aproveitando para abusar do táxi enquanto não tenho que pagar creche. Enfim, estamos felizes (re)descobrindo o mundo. Em breve teremos o primeiro carnaval e a primeira creche/ escola (que dor no coração!), mas esses são assuntos para outros posts.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010


Bem-vind@s!

Olá, família e amig@s! Ano novo, blog novo! Agora que já faz quase 5 meses de Tito fora da barriga, resolvemos abrir um novo canal de comunicação com vocês. É para contar como está sendo esse novo tempo, com o Tito aprontando por aí e a gente tentando se entender nessa nova função de mãe/pai. Não sabemos de quanto em quanto tempo vamos conseguir atualizar o blog (vocês sabem que criança dá trabalho e logo logo minha licença acaba!), mas tentaremos colocar aqui fotos, vídeos e histórias dessa nova fase de nossas vidas. Então, bem-vind@s e fiquem à vontade no mundo do Tito!