segunda-feira, 31 de maio de 2010

feliz aniversário pra vó Denise!

Tito e avó Denise.
Avós Denise e Sergio com Tito na casa deles, no início do mês.

dia das mães na escola

A foto está meio escura, mas eu estou à esquerda, de vestido roxo com a barra branca logo na frente. Meu primeiro dia das mães na escola foi assim: lá na frente cantando com outras muitas mães para os/as pequenos/as. Apesar de não ter gostado muito do repertório (teria escolhido músicas mais alegres!), foi lindo! As crianças não sabiam o que ia acontecer e o auge da história pra mim foi quando o Théo, colequinha e 1 ano e meio da turma do Tito, encontrou sua mãe na multidão e veio correndo abraçá-la. Foi lindo! Quanto ao Tito, não tava nem aí, não me viu cantando e no final, quando fui pegá-lo, também não estava entendo muita coisa. Dá pra ver pela carinha dele nas fotos a seguir!
Olhando toda a bagunça, sem entender muita coisa, no colo da tia Aline. Lá na frente, as mães cantando pros/as filhotes. No repertório: O Caderno e Fico assim sem você.
Agarrando muito o Tito e ele nem aí...
Com papai e mamãe, já cansado de tanta agitação, depois da cantoria das mães.
Posando ao lado da primeira obra de arte do meu bebê! É, isso mesmo, esse quadro lindo na parte de cima, todo colorido e simétrico. Um gênio, o meu filhinho!
Depois da bagunça na escola, brincando na cama da mamãe e do papai.

sábado, 29 de maio de 2010

ainda sobre o dia das mães

O mês já está quase acabando e só agora estou conseguindo postar as fotos do Dia das Mães (em família, abaixo e na escola, acima). Isso diz muito do que é ser mãe. Nós continuamos bem só que, a medida que volto mais a minha vida profissional, mais corrida fica o resto da vida como um todo. Realmente não consigo entender como pessoas conseguem ter mais de um(a) filho(a) e trabalhar fora (além de em casa, e claro que não falo das pessoas que têm empregada full time ou todo dia e/ou babás). Estamos descobrindo estratégias de sobrevivência e felicidade, mas nem sempre é fácil (quase nunca, na verdade). A recompensa de todo o esforço é ver o Tito correndo tudo engatinhando, ficando em pé e sentando sozinho, aprendendo a bater palma. Realmente são conquista impagáveis. Mas o sossego - se é que existe algum sossego depois que se tem filhos(as) - já foi embora: acho que foi semana passada que, na mesma semana, o Tito caiu com a cara em um brinquedo e machucou embaixo do olho; no dia seguinte, caiu de boca em outro; no terceiro dia mordeu a orelha de um coleguinha e para fechar a semana, puxou o cabelo de outra. E olha que eu estou falando de uma criança super tranquila.

Ah, e ainda tem o capítulo sono, sobre o qual, toda mãe e todo pai que se prezem têm uma opinião. Na prática descobri que não consigo deixar meu filho se esgoelando até dormir e isso está me custando (ou nos custando) preciosas horas de sono. O negócio funciona assim: lá pelas 20h/ 20h30 eu chego em casa. Como ele jantou por volta das 17h na escola, ele está morrendo de fome a essa hora (e, quero acreditar, de saudades também!). Ele mama e dorme mamando no meu colo. Colocamos ele no berço. Em geral, ele vai até 22h30/ 23h30, dependendo do dia, e acorda para mamar o outro peito. Até aí, justíssimo. O problema é que ele não só acorda pra mamar, ele acorda e ponto. Depois, em geral, só vai dormir perto de 1h da manhã. E, no dia seguinte, pro dia funcionar, eu fazer comida, comer e deixá-lo na escola ao meio dia pra ir trabalhar, tenho que acordá-lo no máximo às 8h. Contar isso para mães que acordam 100 vezes por noite durante meses ou anos é até cruel, mas é que a gente estava mesmo acostumado a dormir muito e direto e agora isso não é mais possível. Fora a necessidade de deixá-lo sozinho no quarto, com tudo apagado para ele aprender que é hora de dormir. Como podem perceber, nada além da rotina de quem tem filho/a pequeno/a. Mas além disso, saimos muito, recebemos visitas e visitamos muita gente, vamos ao MAC, ao CCBB e, no feriado, levaremos o Tito pra passear em SP.

Informações técnicas: Tito tem andando muito entupido, com aqueles resfriados que vão e voltam, mas nada grave. Está com 10,750kg e 75cm, crescendo muito. Amanhã, peixe entre na dieta!

p.s. Abaixo, fotos do vô Paulo e acima fotos do papai do Tito.
Babando a cria no almoço de dia das mães.
O mais lindo do mundo com camisa nova (V.I.B)!
As mães do dia posando para outra foto com Tito entre nós.
Com as avós mais orgulhosas!!!
Olhando a vovó Sueli.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

utilidade pública

Esse link é pra quem tem filho(a) pequeno(a) e/ou está grávida. Agora, a pergunta que não quer calar: se 80% de todas as coisas que temos (inclusive brinquedos e potinhos de comida - pelo menos ele não usa chupeta!) são de plástico, o que fazer? Jogamos tudo fora e começamos de novo? E outra: as empresas tb não costumam avisar qdo usam substâncias controversas, ainda mais se são liberadas por nosso governo. Enfim, leiam aqui sobre o bisfenol A que, agora, vai começar a ser retirado do material das mamadeiras já que pode causar câncer, obesidade, hipertensão...! Ou seja, nada demais! SURREAL!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

pelo direito ao parto humanizado COM acompanhante

Também já estou de saco cheio de falar de parto. Já faz quase 9 meses que o Tito nasceu, ou seja, já zerei a história: já está tanto tempo fora quanto ficou dentro. Mas vamos combinar que é chocante ver como as pessoas tratam esse momento com tamanha insensibilidade e estupidez. Graças aos céus, não ouvi o que o Alexandre Garcia falou a respeito, mas tive o desprazer de ler trechos preconceituosos de quem não se dá ao trabalho de pesquisar minimamente o assunto antes de dar sua opinião publicamente (já que ele é jornalista, articulista, formador de opinião- para alguns(mas) e espero que cada vez menos...) e com o mínimo de responsabilidade. (Se quiserem entender do que estou falando, basta entrar aqui.) Parto humanizado NÃO é bobagem, é a possibilidade de passarmos por um momento muito importante de forma tranquila e não traumática!!! E isso não é pouca coisa!

Enfim, é por essas e outras que não dá pra deixar de tocar no assunto, de falar que NÓS MULHERES temos o DIREITO de ESCOLHER o nosso parto e só dar para escolher com INFORMAÇÃO de QUALIDADE, coisa que a Globo diz que dá, mas pelo amor dos(as) deuses(as), leiam o que ele falou e tirem suas conclusões! Aproveitando, lá no final do blog coloquei um link para o abaixo assinado pelo direito de termos um(a) acompanhante durante o NOSSO parto. Por favor, divulguem e assinem. Para saber mais a respeito, dêem um pulo no site do Parto do Princípio.

domingo, 9 de maio de 2010

quem me transformou em mãe

Foi esse menininho lindo que me "virou" em mãe e é claro que foi ele o melhor presente nesse final de semana de primeiro Dia das Mães. O bom de ter avôs fotógrafos (e um pai que tb entende da coisa) é que sempre temos fotos lindas do pequeno. Essas aí foram tiradas pelo avô Sergio, na casa dele, ontem antes de irmos para um casamento. Hoje foi dia das avós Sueli e Ana. Final de semana de muita badalação e comemoração! Ah, ganhei DVDs e CDs maravilhosos de dia das mães, só mulheres poderosas: Teresa Cristina, Marisa Monte, Maria Gadú e Moinho da Bahia. Obrigada, marido!
Tito pronto pro casamento do amigo do papai!
Lindinho, comendo papinha na casa dos avós Sergio e Denise.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

na casa da vó Ana e do vô Paulo

As fotos foram tiradas no último domingo pelo avô e fotógrafo Paulo Seabra. Tito ficou por lá à tarde com avós, ti@s e primo João, enquanto mamãe e papai tiraram uma folguinha, foram almoçar fora, namorar e descansar!
Comendo tudo com a vó Ana!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

ainda sobre alimentação

Estou trabalhando em cada hj (Tito com início de gripe) e acabo de receber pelo Twitter o link para essa entrevista com a Pat Feldman no Bebê.com.br, não concordo 100% com tudo, mas é bem interessante, dêem uma olhada.
Outra bem interessante sobre a introdução de alimentos para os(as) bebês está no blog do Cacá, também vale a pena ler para tirar as próprias conclusões.
Mas acredito que a melhor "receita" para introduzir alimentos para a criança é conversar muito com seu/sua pediatra e rever os hábitos alimentares de quem mora com o/a bebê. Vamos e venhamos que não vai adiantar muita coisa tentar dar verduras, legumes e frutas pra criança enquanto ela vê os pais se enchendo de fritura, doces etc. Tem também uma matéria grande e por vezes muito interessante (graças à consultoria da minha amiga querida Vivian Braga!) sobre o tema na revista Crescer de abril, que tem uma menininha fofa comendo na capa. É isso: ter filhos(as) é rever hábitos e valores!

sábado, 1 de maio de 2010

papinha

Papinha é aquela coisa: a gente vai juntando um alimento de cada grupo que a pediatra vai liberando, mistura tudo e vê no que é que dá. Tito está comendo papinha salgada (mas sem sal) desde um pouco antes dos 7 meses. Enfim, já fiz todos os tipos de combinações e algumas dão mais certo do que outras. Atualmente, a comidinha dele ainda é bem molinha. Nunca bati no liquidificador, só as carnes é que vão pro processador com algum legume e um pouco de caldo, mas cada vez batemos menos pra ir ficando com mais cara de carne. O resto é amassado no garfo desde o início. Hoje fiz uma papinha que ficou muito boa. Ele gostou e eu tb! Nada complicado, mas, como disse, algumas combinações dão mais certo do que outras.

Papinha do Tito (uma delas)
1 batata baroa pequena
1 pedaço de chuchu
1 pedaço de abóbora japonesa
1 pedaço de couve flor
1 dente de alho
2 colheres de macarrãozinho
1 colher de frango (passado no óleo de canola com cebola, alho e tomate e batido no processador com chuchu)

Cozinhar tudo junto com o dente de alho inteiro (é só pra dar um gostinho, a gente tira antes de amassar o resto). O frango e o macarrãozinho a gente adiciona bem no final. Enfim, é só uma idéia. Como disse no post anterior, tem gente bem mais especializada no tema do que eu. Mas é muito legal fazer experimentos na cozinha e ver a reação do pequeno ao comer.