quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

que venha 2011






Com certeza, a liberdade e a poesia a gente aprende com as crianças.

Manuel de Barros


Que tenhamos a capacidade de aprender com as crianças, de enxergar a poesia que há em nossas vidas e de encontrar nossa liberdade no que fazemos, em quem amamos e no que somos! Feliz 2011 para tod@s nós!!!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

entrevista Michel Odent

Para quem se interessa por questões relacionadas ao parto e primeiro ano de vida do bebê (nada de primeiros cuidados, mas reflexões mais gerais), assista a essa entrevista que o pesquisador e médico francês (um dos maiores defensores do parto humanizado) deu a um canal português. A entrevista é em inglês, mas com legendas em português e está disponível no blog Rituais Maternos.

final de ano

Final de ano é sempre assim: essa sensação de que o ano passou rápido demais, muito calor, muita correria, enfim, é preciso se esforçar para tirar coisas boas desse clima pré-festas e de muito consumo. Nossa vida também anda corrida, tanto que nem tenho conseguido escrever muito por aqui. Mas ainda há o que contar (e mostrar, como viram nos posts mais abaixo). No início de dezembro viajei pela primeira vez a trabalho por mais de um dia (ou seja, indo e voltando no mesmo dia). Fiquei 2 dias e meio fora e tudo correu bem sem mim. Ele ficou com o pai e com os avós paternos e parece que só sentiu falta de mim ao beber o meu leite um dos dias antes de dormir. Não ficou doente (graças a Deus), nem choramingando. Na volta, ele quis mamar (ele tem 1 ano e 3 meses e continua mamando no peito antes de dormir). Logo que cheguei, mamou um tempão e dormiu direto, até o dia seguinte. Pra mim, foi difícil no primeiro dia, porque uma colega que estava no seminário levou a filhinha um pouco mais velha que o Tito. Aí fiquei com saudades mesmo. Mas nos outros dois dias, acho que consegui render bem, trabalhar, jantar e beber com os/as lamigos/as. Acabou sendo legal e estou mais confiante para voltar a fazer viagens de trabalho ano que vem.

Além disso, Tito está com uns dentões nascendo e isso deve estar gerando um certo sofrimento: tosse sem razão aparente, dente; febre sem razão aparente, dente; acorda no meio da noite pra mamar, dente. Enfim, amanhã é dia de voltar na pediatra, mas estes têm sido os últimos diagnósticos. Já fico de mal humor quando tenho afta na boca, nem consigo imaginar meu humor com quatro pré-molares nascendo ao mesmo tempo. Para terem uma idéia, até comida ele recusou dia desses (mas fiquem tranquilos, quando digo comida, digo uma parte pequena do prato)!

Mas a vida segue, com problemas no trabalho, correrias, planos para 2011 e não vendo a hora do recesso chegar! Junto com ele chega o dia em que começam as férias do Tito (depois de amanhã). Sim, ele está em uma escola, e não em uma creche, portanto ele tem um mês e meio de férias!!!! No recesso ficaremos com ele, depois Gustavo tira semanas de férias (e eu acho que conseguirei tirar pelo menos uma também) e no final das férias ele será distribuído entre as avós/ avôs. Assim, todo mundo ajuda, pois vamos precisar muito, mas não fica pesado para ninguém. Na programação: Natal em família, Ano Novo em Vraja e quem sabe uma ou outra viagem pra bem pertinho em janeiro. Veremos: dependerá do clima, da nossa disposição e dos dentinhos do Tito!

Tito no jongo

Nesse final de semana fizemos um programa diferente com o Tito: fomos a uma roda de jongo. Uma amiga querida (Mônica), que trabalha no  Pontão de Cultura do Jongo, nos chamou para a parte lúdica do encontro da rede de jongueiros, que foi na nova sede do Bola Preta, onde o Jongo da Serrinha organiza uma festa de jongo aos sábados à tarde de 15 em 15 dias. Enfrentamos o calor e lá fomos nós, encontrar os/as amigos/as e introduzir Tito a mais esta maniestação da cultura popular (mãe antropóloga dá nisso!). Ele chegou lá com sono (como vcs podem ver pela carinha dele nessa foto), mas depois de uma soneca no colo do papai,...
...dançou com a mamãe,...

...bateu tambor,...
...e no final estava que nem pinto no lixo!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

amamentação e autonomia da mulher

Instigada pela reportagem da "mãe vaca" e pelas respostas publicadas no Blog do Cacá e Mamíferas resolvi me pronunciar sobre o assunto mais uma vez. A pergunta central que está no debate é se a amamentação é um direito ou um dever das mulheres. A matéria que avivou a polêmica questiona nossa possibilidade de escolher tendo em vista as campanhas que estimulam o aleitamento materno e as orientações da OMS e Ministério da Saúde. Não sei se todo mundo que lê o blog sabe, mas eu me considero feminista, sendo assim, acredito que cada mulher tem todo o direito de resolver o que quer e o que deve fazer com o próprio corpo. E é a partir daí e da minha experiência como mãe que ainda amamenta (Tito está com 1 ano e 3 meses e mama todos os dias antes de dormir) que faço minhas reflexões.

Antes de ter o Tito, amamentar não era uma questão. Lembro de mim, já grávida, falando com uma amiga, mãe de duas meninas, que amamentaria no máximo até o 5º mês do bebê e olhe lá. Ela, que vem amamentando sua segunda filha por mais de 2 anos, olhava e calava frente a minha convicção. Depois que o/a bebê nasce e vira seu/sua filho/a, são outros quinhentos. Na verdade, hoje em dia pra mim é difícil entender as mães que optam, conscientemente, por não amamentar pelo menos 6 meses ou aquelas que não insistem em dar o peito e acabam na mamadeira logo no início.

Enfim, sei que cada experiência é muito diferente e que, como me disse uma outra amiga dia desses, nunca conseguimos entender de fato a dor do outro. Mas também acho que gravidez + ter filho/a pode ser uma oportunidade fantástica de confrontar valores, fazer um movimento maior para mudar, para se transformar de fato. Enfim, eu que não queria amamentar estou aí até hoje, depois de muitos empedramentos e passada a fase de 10/ 12 mamadas por dia. É exaustivo sim, é bem difícil para a maioria das mulheres com quem converso e é claro que não vale a pena fazer só por obrigação. Por mais que façamos propaganda dos benefícios nutricionais e da importância para a criação do vínculo mãe-bebê etc, nós somos seres humanos e não vacas, como fala a matéria, portanto precisamos saber e acreditar no que estamos fazendo, encontrar essa disponibilidade para o outro dentro de nós. Sem ela, nada vale a pena no que se refere à maternidade. Mas é claro que nem todo mundo irá encontrá-la através da amamentação. Nisso, estão em jogo tantas coisas (nossa relação com o próprio corpo, nossa relação com marido/ companheiro, nossa relação com nossas famílias e o que ouvimos de nossas mães, sogras e outros familiares). Enfim, muita coisa faz com que nos preparemos bem ou mal para esse momento e possamos fazer nossas escolhas.

Amamentar ou não é invariavelmente uma escolha individual, pessoal e instransferível. E acho que ninguém deveria se sentir culpada por não amamentar, apesar de toda a pressão social para isso. Mas, em contrapartida, uma orientação governamental, uma política pública como aquela em que se inserem as campanhas e manuais para amamentação, deve também fazer uma escolha. E, na minha opinião, a atual escolha do Ministério da Saúde nessa área vem sendo muito acertada.

É preciso dar mais informação e estimular mais o aleitamento materno através de campanhas de massa. Só assim faremos frente às constantes propagandes de leite em pó e farináceos que são a 5ª maravilha e resolvem todos os problemas nutricionais de nossas crianças (para quem pode e quer pagar!). Se vivemos em uma sociedade que divulga como valor central incessantemente o individualismo e o corpo jovem e plastificado como algo positivo, temos também que fazer contra-propaganda para sabermos dos significados positivos da escolha pela amamentação para nossos/as filhos/as durante um período de nossas vidas. Os contra-pontos serão feitos por cada uma de nós, de acordo com nossos valores, relações, sentimentos e experiências. Mas um primeiro passo para o coletivo tem que ser dado mesmo pelo governo e acho que campanhas, informações, médicos/as e profissionais de saúde preparados para lidar com as delicadezas da questão e licença maternidade maior assegurada para todas (e se possível, todos) deveria sim ser um direito de todas nós mulheres para que, aí sim, cada uma possa de fato escolher.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

em frangalhos

Acho que já disse aqui que Tito anda super agarrado comigo. Há quem diga que é da idade (quase 1 ano e 3 meses). Espero que seja e que passe logo. Nunca me senti tão indispensável na vida de ninguém, nem na da minha mãe! E é lindo e totalmente desesperador não poder ser tudo que o outro quer e espera de você. É claro que ao longo da vida lidamos com esse limite extremo várias vezes e de várias maneiras, mas tudo com filho é bem mais radical. Hoje a manhã foi estressante: Tito só queria meu colo o tempo todo (não consegui nem tomar banho antes de sair), culminando com uma garrafa quebrada do lado dele (por ele), mas sem machucar, graças aos deuses, e com uma entrada horrível na escola!  Ele no meu colo sem querer sair, a professora pegando ele e demorando muito para entrar. Resultado: beiço e berreiro e o posterior surto da mãe. Muito muito difícil a maternidade, muitas vezes beirando o impossível. Sorte que meu filho é o Tito, o mais fantástico, alegre e bacana do mundo!
Mas, nesse contexto, o que fazer com o resto da minha vida? Onde é que cabe tudo que não é ele? E meus estudos? Meu trabalho? Meu doutorado? Minhas outras aspirações? Às vezes isso tudo parece ainda mais distante e até mesmo impossível! Sei que estou num dia pessimista, mas só pra dizer que ser mãe e ser pai é bem complicado mesmo. Muitas vezes!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

cheio de dentes

Tito foi ontem à pediatra com o pai por conta de uma tosse que persiste há umas 3 semanas. Causa provável: muitos dentes à vista ao mesmo tempo! Nunca desconfiaria de uma coisa dessas!!!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Férias com Tito

Gustavo tirou um mês de férias e eu consegui tirar duas semanas! Entre nosso período de descanso, programamos nossa segunda viagem de avião com o Tito para Maceió. Por uma feliz coincidência fomos com avós Ana e Paulo e tia Cris. A viagem foi ótima, fez sol praticamente toda semana que ficamos por lá e passeamos bastante. Infelizmente, Tito começou com um resfriado bem na véspera de nossa viagem, chegou a ter até febre. Lá ficou só com nariz escorrendo, meio remelento e, depois de uns dias, tosse. Não sabemos se pelo mal estar da doença ou pelo estranhamento da rotina/ lugar (ou ambos) ele ficou bem irritado boa parte do tempo. Reclamando, gritando, só querendo ficar no colo e muito grudado comigo. Conseguimos aproveitar anyway, mas foi bem punk. O bom foi que, apesar do cansaço físico (e um pouco emocional tb pq filho chorando full time é dose!), deu para sair de casa e dar um tempo na rotina de arrumação, fazer comida etc. As fotos estão  aqui. Fizemos um videozinho (abaixo) dele com o Tavo na praia na véspera da nossa volta, dia em que ele ficou mais bem humorado. Mas não me entendam mal, em público ele até que esteve bem, o negócio pegava mais no quarto ou quando ele ficava com sono/ cansado. Mas foto e vídeo são bons por isso: ajudam a gente a lembrar só da parte boa das coisas!

Tito na praia

video

no casamento dos tios Joana e Miguel

Tito se comportou lindamente no casamento dos tios Joana e Miguel no início de outubro. Além disso estava lindo com roupinha Bebê Básico, Isabela Capeto para C&A e sapatinhos amarelos Babu Uabu (mamãe pode dar consultoria de moda infantil!). Aproveitamos muito em família e Tito, que adora uma percurssão, ficou bem entusiasmado com a roda de samba que rolou no casório (veja os instrumentos na mão do pequeno) com direito à canja da tia Jô, é claro!
Tito em família, faltou só o papai na foto (e tb a mamãe não resolver falar bem na hora do clique!)!
Aproveitando a roda de samba do casamento no colo do vô Sergio, pertinho da Paulinha e do noivo, tio Miguel!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

de pé

Mês passado ele andava pelas paredes, esse mês o barato é andar segurando UMA mão e de vez em quando arriscar uns passinhos solito!

samba na escola

Semana passada fui levar o Tito na escola (como sempre, aliás) e ouvi logo ao chegar uma música: percurssão, chocalho... Subi para levá-lo na turma dele e percebi que a música vinha da sala dele. Muito batuque e todo mundo cantando "O sapo não lava o pé, não lava porque não quer...", clássico do repertório infantil-escolar. A professora chegou, deixei o Tito e quando já me virava para sair a música mudou: "Ernesto nos convidou prum samba, ele mora no Brás, nós fomos não encontremos ninguém...". Fiquei tão, mas tão feliz! AMO a escola do Tito!

nosso aniversário

Família e amig@s, as fotos da festa estão do Facebook e, em breve, pretendo colocar tb no Orkut. Vejam lá!

fragmentos de cotidiano

Faz tanto tempo que não escrevo que fico até sem graça de voltar aqui. Desde a última vez, há MAIS DE 1 MÊS, Tito já fez 1 ano e também 1 ano e 1 mês. Foram muitas gripes e resfriados, mas nada sério. Também foram muitas novidades e mudanças. A impressão que dá, há una 10 dias, é que estamos novamente passando por uma fase de transição. Não sei se existe teoria sobre isso, mas dá pra sentir no dia-a-dia. Parece que a criança sabe que pode mais do que faz e vai se dando conta disso. No nosso caso, ele com mais de um ano, a sensação é de que Tito aprendeu agora que pode querer (ou não) as coisas do mundo. Como tod@s sabem, ele sempre foi um bebê muito tranquilo e cooperativo, mas agora ele quer ou não determinada comida, quer ou não ficar no colo... Só que ainda estamos aprendendo a entender como ele expressa suas vontades e isso requer muita paciência. Vejo muita gente que rotula o próprio filho/a e às vezes acho que pode ser falta de compreensão sobre as dificuldades da criança se fazer entender, ou seja, entrar para o mundo da linguagem e da cultura "hardcore". Poxa, eu como de tudo, mas nem sempre estou com vontade de comer banana, que adoro, por exemplo. Mas eu sei como dizer pro mundo: "não, não tô afim de banana agora, prefiro um suco de melancia", mas e a criança antes da palavra, antes de conseguir atribuir sentido. Deve ser dificílimo! Enfim, também não é fácil pra nós porque também estamos tendo que aprender como agir agora com essa pessoinha que está realmente se transformando em alguém do jeito dele. Mas também é muito fantástico: vê-lo apontar para as coisas tentando nos dizer o que quer, andando do nosso lado, pegando nossa mão porque não quer engatinha, falando "tatatá" (que é batata) ou "papá" para explicar que quer comer. Enfim, puro deleite para aqueles e aquelas que sabem aproveitar! Espero muito aprender a curtir para além do cansaço. Porque a independência dos/as pequenos/as certamente é trabalho dobrado para mãe e pai que passam uns anos correndo com eles/as ou atrás deles/as. Enfim, acho que são essas as boas novas. Em breve, fotos desse longo período que fiquei/ ficamos sem aparecer por aqui.

P.S. Fomos à pediatra na semana passada e pela primeira vez em 1 ano e 1 mês ele engordou menos que o desejado, mas faz parte, afinal ele já tinha engordado bem acima da média muitas vezes! rs Ele está com mais ou menos 11,5kg.

domingo, 15 de agosto de 2010

Mãe&Filho

Amor.
Momento de namoro mãe&filho.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

sobre desmame



Esse aí é um vídeo interessante feito pelo pediatra Carlos Eduardo Corrêa sobre as muitas possibilidade de vivência da amamentação e do desmame. Tudo a ver com o relato que escrevi há uns dias aqui no blog.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Semana Mundial de Aleitamento Materno

Como coincidiu com a semana dos pais, quase que ela passa em branco aqui no blog. Mas não dava para deixar passar, não. O aleitamento, que tem sido tão importante em nossas vidas não podia ficar de fora. Aviso àquelas que estão começando a amamentar ou que ainda não pariram (e estão às voltas com todos os fantasmas que cercam essa prática) que sou defensora mesmo. Mas não tenho uma visão idealizada, já que tenho passado por todo o processo há quase 1 ano. No começo é difícil mesmo e tem gente que não consegue porque, de fato, é desgastante física e emocionalmente (eu emagreci horrores amamentando!). Acho que dar de mamar é um ato que deve ser desejado e construído de forma consciente e afetiva, assim como o momento do parto. Eu não caí nesse de "na hora tudo se resolve". É claro que tem uma dimensão muito objetiva que é "como colocar a boca do meu filho no meu peito e fazer sair leite de lá"? Para isso não adianta só preparo e litaratura. Tive a sorte de estar em um hospital coberto pelo meu plano de saúde onde a amamentação era estimulada e assistida. A orientação das enfermeiras foi fundamental nos primeiros dias. Mas há muitos outros medos e dores que aparecem no decorrer dessa experiência. Por exemplo, se dar conta na prática de que aquele(a) bebezinho(a) vai precisar de você 24 horas por dia e você terá que amamentá-lo de 2 em 2 horas ou por aí durante 6 meses. É difícil, viu, muitas vezes eu tinha vontade de sumir quando ouvia o chorinho de fome outra vez. Mas isso não quer dizer que seu leite é fraco!!!! Bebê come muito (pelo menos o meu era frenético) e eu era naquele período a única fonte de alimento dele. Mas peito não é só alimento e aí mãe e filho/a terão que estabelecer limites para essa relação. Mas, até lá, o bico pode rachar, o leite empedrar... E como é possível ser paciente com você mesma e com o seu neném em um momento de tanta novidade e intensidade? Para saber o que você quer, não tente sair por aí pegando conselho de todo mundo. Cada uma tem uma experiência, uma opinião e os seus preconceitos. Por isso a importância de se informar e buscar fazer a opção antes. É difícil, dói (e um dia conto se o peito fica pouco ou muito caído), mas é um dos momentos mais gratificantes e intensos da construção da relação mãe-filho, além do que, protege seu filho contra zilhões de doenças e deixa ele muito resistente e saudável!

Para a mãe, acho que o mais importante é acreditar em si mesma, no seu lugar e na sua força nesse processo. E para isso é essencial o apoio do companheiro e da família ao invés de ouvir "o leite é fraco, dá logo uma fórmula que ele dorme", ouvir "calma, é assim mesmo, ele vai ficar bem". Já ouvi todo tipo de relato e me choco ao perceber quanta gente desiste logo nas primeiras semanas (e é claro que cada uma tem o seu limite) porque acho que nem sempre nos orientam da maneira mais correta. A nossa, ainda bem, é super militante da causa e me ajudou receitando uma homeopatia para o empedramento, que eu tive durante muitos meses com frequência.

Enfim, que cada uma encontre o seu caminho, mas que aproveite esse mês em que celebramos o Dia Mundial de Aleitamento Materno para refletir sobre o assunto e construir sua opinião sem achar que só o/a médico é quem vai resolver na hora! O nosso caminho foi o seguinte: 6 meses de aleitamento exclusivo e Tito continua mamando quando acorda e antes de dormir até hoje (11 meses e quase 3 semanas). Também não sei se conseguirei amamentá-lo até os 2 anos, como recomenda a Organização Mundial de Saúde e os orgãos oficiais do Brasil. Torço para que esse processo seja natural e que eu não tenha que "tirar o peito" por falta de disponibilidade, mas pode ser também. Quando souber, conto pra vocês! Ah, para mais informações sobre o assunto, dá um pulo no site das Amigas do Peito, no Blog do Cacá  ou no Ministério da Saúde. Abaixo, algumas fotos desse momento. E, acima, um videozinho da campanha pelo aleitamento materno.
No início, Tito com uns 2 meses, mamando de 2 em 2 horas (ou menos!). A sorte é que ele dormia à noite! E engordava pelo menos 1/2 kg por mês!!! Seis meses com aleitamento exclusivo e hoje, com mais de 11 kg.
Até completar 1 ano, o único leite que o Tito terá tomado é o da mamãe.
A mesma poltrona, a mesma almofada, quase 1 ano depois de muito uso!

Pai&Filho

Lindos da minha vida!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

outros pais

Ainda aproveitando o dia dos pais, recebi no Facebook esse texto bem interessante sobre a licença paternidade. No mínimo dá pra gente relativizar o lugar dos pais hoje no Brasil na criação/ cuidado dos/as filhos/as. E perceber que não é igual em todos os lugares e que também podemos e devemos querer mais por aqui. Não se esqueçam que há 30 anos a licença maternidade era de 3 meses! Me pergunto como é possível querermos pais que assumam mais seus filhos/as se achamos razoável uma licença paternidade de 5 dias depois do nascimento do bebê?! Enfim, para quem quiser saber mais sobre o assunto o texto está aqui.

sábado, 7 de agosto de 2010

dia dos pais

Essas 3 fotinhos são uma singela homenagem ao Tavo, pai do Tito. Todo mundo sabe que sou muito fã do meu marido, né? Então, ele tem se revelado um pai maravilhoso, de verdade, presente, sensível, paciente, criativo, dando um lugar especial para a patermidade ATIVA na sua vida. Nada de ajudar a mamãe, mas de fazer junto com ela, tanto quanto! Parabéns, amore! TE AMAMOS MUITO!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

contagem regressiva

É, meu povo, é chagada a hora. Tito fará 1 aninho de vida muito bem vivida no dia 21 desse mês. Faremos uma comemoração em família, sem obrigações de "festa de criança". Será algo simples para celebrar com as pessoas queridas esse ano que foi tão especial para nós: o primeiro dele fora da barriga, o primeiro nosso como mãe e pai e mais um meu, que farei 33 anos 3 dias antes do meu bebê.

Tito continua ótimo, segunda as professoras, cada vez mais sapeca. Estamos esperando ele começar a andar sozinho a qualquer momento! Engatinhando, ninguém segura mais e mais parece o homem-aranha andando todos os lugares segurando nas paredes, sofás, mesas. Essa semana ele passou para o horário integral na escola (estava 6 horas e agora serão 8) e está muito bem. Por sorte, a turma toda da escola é muito bacana e ele ama aquilo lá. Eu ainda estou trabalhando meio período, mas só até dia 21, depois volto ao horário normal (10h às 18h). Mas eu precisava mesmo dessas manhãs nessas semanas para descansar, me cuidar um pouco e adiantar as coisas da nossa comemoração antes de retomar a rotina de trabalho full time. É claro que fico com MUITA SAUDADE do pequetito, mas confesso que estou muito menos cansada do que antes, mesmo tendo que acordar mais cedo. É incrível como cansa ter que, ao mesmo tempo, dar atenção à criança e cuidar dos afazeres domésticos que também dizem respeito ao bem estar dela (arrumar a bolsa para escola, fazer o almoço, ajeitar a casa, tomar banho, me arrumar...). Enfim, tenham filhos e descubram!

Tirando isso, continuamos aproveitando muito os finais de semana e, como vcs verão em algumas fotos a seguir, ele também. Escolhemos algumas do avô Paulo Seabra mostrando ele em família, principalmente interagindo com o priminho João. Mas temos passeado na praia e no Campo de São Bento, visitado a família aqui e no RJ, ido ao Cine Materna e a comemorações mil de aniversários de amigos (viva tia Pri!!!). E nos próximos finais de semana antes do aniversário ainda temos dia dos pais e festa junina da escola (que de tão adiada acabou em agosto!). Apesar do cansaço, temos nos divertido muito! A mamãe aqui está aproveitando o mês para entrar no pilates, fazer acunputura, exame de sangue, ir ao médico e se dar o direito de descansar e respirar um pouco mais, porque ninguém é de ferro e criança dá um trabalho danado!

Em tempo, na pediatra semana passada descobrimos que Tito está com mais de 11kg e 78cm.

primos

Tito e João, bagunçando na casa da vó Ana e do vô Paulo, que registrou o momento com precisão! Olha aí os meninos posando pra foto. E abraçadinhos! O máximo!!!
Mais uma! Reparem como Tito tem quase o tamanho do primo, que vai fazer 3 anos esse mês!!! Será que o apelido da criança vai ser giganTITO???
"João, olha aqui esse brinquedo que legal!"

com a mamãe

Coisa mais linda de mãe! 11 meses!!!

aniversário da vó Ana

Família Maia Seabra e cia no aniversário da vó Ana!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

cumplicidade

Essa semana eu estava amamentando o Tito à noite e ele acordou enquanto mamava. Eu não lembro pq comecei a rir e ele, enquanto mamava, me olhava e gargalhava tb. Em momentos como esses, a gente tem certeza de que todo o empenho e toda a perseverança para amamentar valem a pena!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sambebê



Aviso logo que ainda não fomos, mas quero muito ir no dia 31/07. Imagina ir num sambinha e ainda encontrar um monte de casais, mulheres e homens com bebês e criancinhas. Muito bom!!! Se for legal, pretendo que seja uma das comemorações de nossos aniversários em agosto. Vamos ver... http://www.sambebe.com.br/

terça-feira, 6 de julho de 2010

ultimo mês

No último mês teve Copa e, surpreendentemente, acompanhei muito quase todos os jogos. Torcemos para o Brasil, mas também para os times africanos e sul-americanos e agora espero do fundo do coração que o Uruguai chegue a final. Prova de toda a entrega ao tema é que ganhamos o bolão do trabalho (U-HU!) e Tito viu todos os jogos como mostram as fotos abaixo, todinho de verde e amarelo e até que deu certo, né, até o jogo com a Holanda...
Enfim, ando em dívida com o blog e como nos últimos dias recebi mensagens de amigas dizendo que gostam do blog, que sempre visita, resolvi recuperar as forças e escrever algumas linhas. O que acontece é que a vida está ficando cada vez mais corrida e realmente sobra muito pouco tempo para atualizar. Tito continua lindo e maravilhoso, quase ficando em pé sozinho, estalando os dedos, imitando muito a gente e até quase falando um "ba" para identificar a bola. Enfim, está ótimo mesmo. Semana passada recebemos da escola o portifólio que mostra sobretudo através de fotos o desenvolvimento dele nos primeiros meses. É muito lindo! Em breve colocamos algumas fotos aqui. Na pediatra, só elogios. Na última consulta cresceu meio centímetro e engordou só 150 gramas, ou seja, está ficando mais comprido o meu filho.
Os pais do Tito também estão bem e muito cansados, já pensando muito na festa de 1 ano que faremos para a família e na comemoração "alternativa" para podermos chamar todos os/as amigos/as. Mas sem estresse, né, festa tem que ser para aproveitar não para ocupar a mente e o espírito com mais preocupações. Como a inspiração hoje é pouca e o trabalho muito, paro por aqui, prometendo que não vou esperar um mês para contar mais coisas e colocar mais fotos!

p.s. Mais 2 dentinhos superiores estão saindo e a comidinha está ficando cada vez mais sólida. Também estamos trocando a mamadeira pelo copinho para água e suquinhos. Mas ele continua firme e forte no peito quando acorda e à noite.
O mais lindo torcedor!
Cansando, muito cansado, com o casco da tartaruga na cabeça e achando mesmo que nem precisa mais segurar para ficar de pé.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

momentos de sapequice em casa aos 9 meses

Tito está assim, cada vez mais fofo e sapeca. Essa série de fotos mostra um pouquinho do que acontece diariamente por aqui. Ele até que é bem calmo e comportado, mas adora apertar uns botões e já descobriu o paraíso videocassete-DVD-aparelho da Sky. São tantos botõezinhos que ele nem sabe por onde começar! E numa sala com tantas interdições (tomadas, quinas, chãos escorregadios etc), os botões são liberados e, às vezes, proibidos. Os livros do papai e da mamãe que ficavam embaixo do móvel onde fica TV/DVD já foram devidamente substituídos por livrinhos bem duros do Tito desde que ele rasgou a primeira página de um dos nossos. Ah, mais abaixo coloquei um link para as fotos da viagem a São Paulo!
Consegui! Fiquei em pé pra apertar todos esses maravilhosos botões que estão tentando esconder de mim!!!
Muito lindo e charmoso, devidamente posicionado para apertar os botões do videocassete e do DVD, além de adorar ver desenhos na TV assim, bem de pertinho (apesar de mamãe e papai não gostarem nada nada).

fotos de São Paulo

Como o feriado em São Paulo foi muito bom e as fotos, muitas, resolvi colocar um montão no Flickr ao invés de postar só meia dúzia aqui. Então, para ver como foi a viagem, é só clicar aqui.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

chegando de sampa

Esse feriadão aproveitei uma reunião de trabalho em São Paulo na véspera e Gustavo e Tito foram me encontrar por lá. Graças a hospitalidade do meu primo querido Gugu, ficamos hospedados na casa dele, na Vila Andrade, Morumbi. Os dias, apesar de frios, ficaram lindos e pudemos aproveitar muito. Na quinta aproveitamos pra descansar bastante (afinal Gustavo e Tito chegaram às 23h depois da primeira viagem de avião do pequeno que, por sinal, foi super tranquila). Almoçamos em família e fomos visitar meu outro primo, Vítor, que mora por lá com esposa e um filhinho 1 ano mais velho que o Tito. Foi ótimo!

No dia seguinte, sexta, encaramos o transporte público local (metrô + trem) e fomos até o Museu da Língua Portuguesa ver uma exposição fantástica sobre os usos da língua. De lá seguimos para o Mercado Municipal, mas como já estava tarde (levamos mais de 1 hora para chegar até o Museu) e eu morta de fome, fugimos das filas do Mercado e achamos um restaurante pelas redondezas totalmente honesto onde Tito bateu sua papinha enlatada e nós uma carninha com fritas bem suculenta.

Antes de continuar, um parêntese, introduzi meu filho, depois de 9 meses, ao mundo das papinhas famosas e compradas prontas. Todo mundo acha uma maravilha, eu acho que tem gosto de caldo pronto, e todas tem o mesmissimo gosto. Ele, graças aos Céus, comeu bem e todos ficamos felizemos sabendo que só vamos comprar papinha em farmácia quando não der mesmo para preparar. Levei tb algumas feitas em casas e congeladas. Então em uma refeição ele comia a "enlatada" e, na outra", a da mamãe. Deu tudo certo e o pequeno não passou fome.

Dali, seguimos novamente para o metrô e fomos para a Paulista. Apesar do cansaço, resolvemos ir logo na Livraria Cultura e fizemos bem pq, do contrário, não teríamos conseguido passar por lá. Ficamos lá, foleando um monte de livros com o Tito, ele mamou e acabei comprando dois livrinhos novos fofíssimos pra ele. É uma pena, mas não consigo achar livrinhos para a idade dele (daqueles bem durinhos, com textura) brasileiros. A maior parte é inglesa ou americana, mas vou continuar procurando e se alguém tiver alguma dica.

Na volta para a casa do meu primo, passamos numa padaria maravilhosa em frente ao prédio dele onde tomamos (ou compramos) o café da manhã e o lanche da noite. Funcionou muito bem pra gente e Tito dormiu bem (apesar de ter acordado bastante em duas das quatro noites que ficamos lá) e mais cedo do que o habitual. Não éramos só nós os cansados.

No sábado, acordamos mais cedo, tomamos café e pegamos o metrô + trem por volta das 9h40. Chegamos na Pça Benedito Calixto às 11h40!!!! SURREAL! São Paulo é muito grande e realmente sem carro é f***! Mas valeu muito a pena. Almoçamos no restaurante que a gente adora (o São Bento), demos comida pro Tito e, de quebra, ouvimos a passagem de som do showzinho que ia rolar ali mais tarde. Compramos roupinhas para mãe e filho (duas calças foférrimas!!!), ouvimos choro, passeamos bastante e voltamos na artesã que fez as lembrancinhas de nascimento do Tito. Foi muito legal e, é claro, compramos nela mais um bichinhos.

Depois ainda tivemos fôlego de ir até o Memorial da América Latina onde estavam rolando uma série de espetáculos musiciais em uma lona de circo. O evento se chamava Circo Roda e nós vimos Bichos do Mundo. Foi muito legal e valeu todo o esforço. De lá, pegamos um táxi (demos uma volta em São Paulo...) e chegamos em casa cedo.

No domingo pela manhã fomos ao Parque Burle Marx que fica bem pertinho de onde moram os meus primos. Foi o máximo! Acreditam que Tito nunca tinha engatinhado na grama? Ele adorou! Um monte de criancinhas interagindo, um monte de bolas... Foi lindo! Depois passamos no shopping para almoçar, arrumamos as coisas e fomos rumo ao aeroporto. Pegamos o vôo das 15h10 (que atrasou uma meia hora, é claro) e umas 17h30 já estávamos na nossa casinha.

A viagem foi ótima e apesar da trabalheira que dá para viajar com bebê (sobretudo a preparação das coisas e a hora de ir para o aeroporto), vale muito mesmo. Eu descansei a mente e recarreguei total as energias. Só ficou faltando ter ido na Parada do Orgulho LGBT, mas fica pra próxima. Queria ter dado um pulo com ele lá antes de começar, mas era totalmente fora de mão e o dinheiro para o táxi já tinha acabado um dia antes. Mas, enfim, valeu todo o esforço e cada centavo. Gugu, Lili, obrigada por nos acolher! Em breve, colocarei as fotos da viagem aqui!

segunda-feira, 31 de maio de 2010

feliz aniversário pra vó Denise!

Tito e avó Denise.
Avós Denise e Sergio com Tito na casa deles, no início do mês.

dia das mães na escola

A foto está meio escura, mas eu estou à esquerda, de vestido roxo com a barra branca logo na frente. Meu primeiro dia das mães na escola foi assim: lá na frente cantando com outras muitas mães para os/as pequenos/as. Apesar de não ter gostado muito do repertório (teria escolhido músicas mais alegres!), foi lindo! As crianças não sabiam o que ia acontecer e o auge da história pra mim foi quando o Théo, colequinha e 1 ano e meio da turma do Tito, encontrou sua mãe na multidão e veio correndo abraçá-la. Foi lindo! Quanto ao Tito, não tava nem aí, não me viu cantando e no final, quando fui pegá-lo, também não estava entendo muita coisa. Dá pra ver pela carinha dele nas fotos a seguir!
Olhando toda a bagunça, sem entender muita coisa, no colo da tia Aline. Lá na frente, as mães cantando pros/as filhotes. No repertório: O Caderno e Fico assim sem você.
Agarrando muito o Tito e ele nem aí...
Com papai e mamãe, já cansado de tanta agitação, depois da cantoria das mães.
Posando ao lado da primeira obra de arte do meu bebê! É, isso mesmo, esse quadro lindo na parte de cima, todo colorido e simétrico. Um gênio, o meu filhinho!
Depois da bagunça na escola, brincando na cama da mamãe e do papai.

sábado, 29 de maio de 2010

ainda sobre o dia das mães

O mês já está quase acabando e só agora estou conseguindo postar as fotos do Dia das Mães (em família, abaixo e na escola, acima). Isso diz muito do que é ser mãe. Nós continuamos bem só que, a medida que volto mais a minha vida profissional, mais corrida fica o resto da vida como um todo. Realmente não consigo entender como pessoas conseguem ter mais de um(a) filho(a) e trabalhar fora (além de em casa, e claro que não falo das pessoas que têm empregada full time ou todo dia e/ou babás). Estamos descobrindo estratégias de sobrevivência e felicidade, mas nem sempre é fácil (quase nunca, na verdade). A recompensa de todo o esforço é ver o Tito correndo tudo engatinhando, ficando em pé e sentando sozinho, aprendendo a bater palma. Realmente são conquista impagáveis. Mas o sossego - se é que existe algum sossego depois que se tem filhos(as) - já foi embora: acho que foi semana passada que, na mesma semana, o Tito caiu com a cara em um brinquedo e machucou embaixo do olho; no dia seguinte, caiu de boca em outro; no terceiro dia mordeu a orelha de um coleguinha e para fechar a semana, puxou o cabelo de outra. E olha que eu estou falando de uma criança super tranquila.

Ah, e ainda tem o capítulo sono, sobre o qual, toda mãe e todo pai que se prezem têm uma opinião. Na prática descobri que não consigo deixar meu filho se esgoelando até dormir e isso está me custando (ou nos custando) preciosas horas de sono. O negócio funciona assim: lá pelas 20h/ 20h30 eu chego em casa. Como ele jantou por volta das 17h na escola, ele está morrendo de fome a essa hora (e, quero acreditar, de saudades também!). Ele mama e dorme mamando no meu colo. Colocamos ele no berço. Em geral, ele vai até 22h30/ 23h30, dependendo do dia, e acorda para mamar o outro peito. Até aí, justíssimo. O problema é que ele não só acorda pra mamar, ele acorda e ponto. Depois, em geral, só vai dormir perto de 1h da manhã. E, no dia seguinte, pro dia funcionar, eu fazer comida, comer e deixá-lo na escola ao meio dia pra ir trabalhar, tenho que acordá-lo no máximo às 8h. Contar isso para mães que acordam 100 vezes por noite durante meses ou anos é até cruel, mas é que a gente estava mesmo acostumado a dormir muito e direto e agora isso não é mais possível. Fora a necessidade de deixá-lo sozinho no quarto, com tudo apagado para ele aprender que é hora de dormir. Como podem perceber, nada além da rotina de quem tem filho/a pequeno/a. Mas além disso, saimos muito, recebemos visitas e visitamos muita gente, vamos ao MAC, ao CCBB e, no feriado, levaremos o Tito pra passear em SP.

Informações técnicas: Tito tem andando muito entupido, com aqueles resfriados que vão e voltam, mas nada grave. Está com 10,750kg e 75cm, crescendo muito. Amanhã, peixe entre na dieta!

p.s. Abaixo, fotos do vô Paulo e acima fotos do papai do Tito.
Babando a cria no almoço de dia das mães.
O mais lindo do mundo com camisa nova (V.I.B)!
As mães do dia posando para outra foto com Tito entre nós.
Com as avós mais orgulhosas!!!
Olhando a vovó Sueli.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

utilidade pública

Esse link é pra quem tem filho(a) pequeno(a) e/ou está grávida. Agora, a pergunta que não quer calar: se 80% de todas as coisas que temos (inclusive brinquedos e potinhos de comida - pelo menos ele não usa chupeta!) são de plástico, o que fazer? Jogamos tudo fora e começamos de novo? E outra: as empresas tb não costumam avisar qdo usam substâncias controversas, ainda mais se são liberadas por nosso governo. Enfim, leiam aqui sobre o bisfenol A que, agora, vai começar a ser retirado do material das mamadeiras já que pode causar câncer, obesidade, hipertensão...! Ou seja, nada demais! SURREAL!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

pelo direito ao parto humanizado COM acompanhante

Também já estou de saco cheio de falar de parto. Já faz quase 9 meses que o Tito nasceu, ou seja, já zerei a história: já está tanto tempo fora quanto ficou dentro. Mas vamos combinar que é chocante ver como as pessoas tratam esse momento com tamanha insensibilidade e estupidez. Graças aos céus, não ouvi o que o Alexandre Garcia falou a respeito, mas tive o desprazer de ler trechos preconceituosos de quem não se dá ao trabalho de pesquisar minimamente o assunto antes de dar sua opinião publicamente (já que ele é jornalista, articulista, formador de opinião- para alguns(mas) e espero que cada vez menos...) e com o mínimo de responsabilidade. (Se quiserem entender do que estou falando, basta entrar aqui.) Parto humanizado NÃO é bobagem, é a possibilidade de passarmos por um momento muito importante de forma tranquila e não traumática!!! E isso não é pouca coisa!

Enfim, é por essas e outras que não dá pra deixar de tocar no assunto, de falar que NÓS MULHERES temos o DIREITO de ESCOLHER o nosso parto e só dar para escolher com INFORMAÇÃO de QUALIDADE, coisa que a Globo diz que dá, mas pelo amor dos(as) deuses(as), leiam o que ele falou e tirem suas conclusões! Aproveitando, lá no final do blog coloquei um link para o abaixo assinado pelo direito de termos um(a) acompanhante durante o NOSSO parto. Por favor, divulguem e assinem. Para saber mais a respeito, dêem um pulo no site do Parto do Princípio.

domingo, 9 de maio de 2010

quem me transformou em mãe

Foi esse menininho lindo que me "virou" em mãe e é claro que foi ele o melhor presente nesse final de semana de primeiro Dia das Mães. O bom de ter avôs fotógrafos (e um pai que tb entende da coisa) é que sempre temos fotos lindas do pequeno. Essas aí foram tiradas pelo avô Sergio, na casa dele, ontem antes de irmos para um casamento. Hoje foi dia das avós Sueli e Ana. Final de semana de muita badalação e comemoração! Ah, ganhei DVDs e CDs maravilhosos de dia das mães, só mulheres poderosas: Teresa Cristina, Marisa Monte, Maria Gadú e Moinho da Bahia. Obrigada, marido!