segunda-feira, 22 de março de 2010

7 meses

É, gente, daqui a uma semana volto ao trabalho (fora de casa, porque em casa tenho trabalhado duro desde que ele nasceu!). Sete meses se passaram, Tito cresceu muito, já está super bem adaptado na escola, comendo frutinhas e comida salgada, bebendo água, mamando menos no peito, precisando menos de mim... É, agora é um momento novo, exercitando o desapego de forma mais profunda, aprendendo mais ainda que não é possível controlar todos os passos do pequeno. É bom escrever, falar, repetir muitas vezes pra ver se aprendemos porque os pais (e, pela minha experiência de vida, sobretudo as mães) passam a vida inteira tentando entender e aceitar que os(as) filhos(as) são do mundo e não deles(as). E, antes de ser mãe, não tinha idéia de como isso seria difícil. É lindo ver nosso filho quase se jogando no colo das professoras, sinal de que está feliz, sendo bem tratado, mas dói. Dói saber que já não somos tão essenciais e prestem atenção: estou falando de um bebezinho de apenas 7 meses!

Esse último mês de licença + férias foi ótimo: visitamos a bisa, encontramos amigos (valeu Ana Karina, Carrano, Lili!), fui a minha primeira atividade de trabalho (e adorei!), continuamos ajeitando a casa... Agora é assustador ver como não paramos 1 minuto desde que ele nasceu. Mais ou menos quando ele tinha 2 meses e meio, conseguimos selecionar e imprimir um montão de fotos desde a gravidez até aquele momento e, esses dias, estava nessa tarefa novamente. Revendo as fotos impressas e selecionando aquelas que ainda vamos imprimir tive uma sensação de que não paramos mesmo, de que fizemos questão de colocar o menino no mundo de verdade, em alguns momentos fiquei pensando: como tive coragem de levá-lo tão pequeno para tantos lugares?! Mas sabe o que mais? Acredito mesmo que a calma do meu filho e a capacidade dele de participar de qualquer lugar não é apenas um talento inato, também tem um pouquinho de adquirido. E isso, ele vai saber, foi desejado e conquistado desde que ele estava na barriga. Enfim, agora é aproveitar essa última semana para descansar um pouquinho, tentar resolver alguns pepinos e me preparar para mais uma nova fase. É isso aí, desde que soubemos que estávamos grávidos, monotonia é algo que deixou de existir em nossas vidas. Obrigada, Tito!

Um comentário:

  1. Lindo, lindo, Pati!
    Só quem é mãe entende cada letrinha dessas! ;o)
    Beijos meus e do Mateus

    ResponderExcluir