sábado, 29 de maio de 2010

ainda sobre o dia das mães

O mês já está quase acabando e só agora estou conseguindo postar as fotos do Dia das Mães (em família, abaixo e na escola, acima). Isso diz muito do que é ser mãe. Nós continuamos bem só que, a medida que volto mais a minha vida profissional, mais corrida fica o resto da vida como um todo. Realmente não consigo entender como pessoas conseguem ter mais de um(a) filho(a) e trabalhar fora (além de em casa, e claro que não falo das pessoas que têm empregada full time ou todo dia e/ou babás). Estamos descobrindo estratégias de sobrevivência e felicidade, mas nem sempre é fácil (quase nunca, na verdade). A recompensa de todo o esforço é ver o Tito correndo tudo engatinhando, ficando em pé e sentando sozinho, aprendendo a bater palma. Realmente são conquista impagáveis. Mas o sossego - se é que existe algum sossego depois que se tem filhos(as) - já foi embora: acho que foi semana passada que, na mesma semana, o Tito caiu com a cara em um brinquedo e machucou embaixo do olho; no dia seguinte, caiu de boca em outro; no terceiro dia mordeu a orelha de um coleguinha e para fechar a semana, puxou o cabelo de outra. E olha que eu estou falando de uma criança super tranquila.

Ah, e ainda tem o capítulo sono, sobre o qual, toda mãe e todo pai que se prezem têm uma opinião. Na prática descobri que não consigo deixar meu filho se esgoelando até dormir e isso está me custando (ou nos custando) preciosas horas de sono. O negócio funciona assim: lá pelas 20h/ 20h30 eu chego em casa. Como ele jantou por volta das 17h na escola, ele está morrendo de fome a essa hora (e, quero acreditar, de saudades também!). Ele mama e dorme mamando no meu colo. Colocamos ele no berço. Em geral, ele vai até 22h30/ 23h30, dependendo do dia, e acorda para mamar o outro peito. Até aí, justíssimo. O problema é que ele não só acorda pra mamar, ele acorda e ponto. Depois, em geral, só vai dormir perto de 1h da manhã. E, no dia seguinte, pro dia funcionar, eu fazer comida, comer e deixá-lo na escola ao meio dia pra ir trabalhar, tenho que acordá-lo no máximo às 8h. Contar isso para mães que acordam 100 vezes por noite durante meses ou anos é até cruel, mas é que a gente estava mesmo acostumado a dormir muito e direto e agora isso não é mais possível. Fora a necessidade de deixá-lo sozinho no quarto, com tudo apagado para ele aprender que é hora de dormir. Como podem perceber, nada além da rotina de quem tem filho/a pequeno/a. Mas além disso, saimos muito, recebemos visitas e visitamos muita gente, vamos ao MAC, ao CCBB e, no feriado, levaremos o Tito pra passear em SP.

Informações técnicas: Tito tem andando muito entupido, com aqueles resfriados que vão e voltam, mas nada grave. Está com 10,750kg e 75cm, crescendo muito. Amanhã, peixe entre na dieta!

p.s. Abaixo, fotos do vô Paulo e acima fotos do papai do Tito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário